Animal de Poder

“É possível encontrar animais 

que se comunicam com você 

de modo mais particular 

– através do poder. 

Estes animais podem lhe ensinar 

segredos de cura especiais 

e podem chamá-lo 

para que você os acompanhe 

na Dimensão dos Sonhos.”

Jamie Sams e David Carson

Em todas as tradições xamânicas os animais são vistos como arquétipos, símbolos de energias que existem e que podemos encontrar e manifestar dentro de nós. Desde a antiguidade, segundo registros, existem rituais onde os homens e animais se faziam presentes. Hoje os encontramos em nosso dia a dia na astrologia, na alquimia, nas cartas de tarô entre outros. Existem algumas maneiras de se descobrir o animal que está presente em nosso interior, seja através de ritual, concentração ou mesmo da intuição.

O Animal de Poder é um arquétipo, ou manifestação simbólica, manifestação de Forças Interiores que atua como Guia ou Mentor uma energia, uma forma que representa nossa personalidade ou comportamento (Espírito Animal / Totem). Eles aparecem para chancelar o que você está vivendo no momento, ou para alertar sobre a mudança necessária que devemos realizar em nossas vidas.

Este animal corresponde às características que aquela pessoa necessita desenvolver, aprender e manifestar em si em determinado momento de sua vida. O animal de poder é requisitado em todos os trabalhos xamânicos. Uma vez que se descobre o animal de poder, devemos estabelecer um relacionamento com o mesmo. Deve-se invocá-lo para realizar suas tarefas, visualiza-lo freqüentemente perto e dentro de você.

Esse nosso poder pessoal tem muito a ver com nosso lado primitivo e xamânico, que foi devidamente domado, subornado e castrado pela sociedade, ao longo das gerações. Mas ainda está dentro de nós, e muitas vezes é a parte mais autêntica e verdadeira que temos por trás de nossas obrigatórias máscaras.

O simbolismo animal está profundamente gravado em nosso inconsciente coletivo. Herdamos sentimentos e recordações inconscientes que condicionam nosso comportamento consciente.

Quando os antigos classificaram as propriedades dos animais de poder, estavam na verdade classificando comparativamente as pessoas, de acordo com a forma como o Poder se aproximaria melhor delas e vice-versa. Estavam dando nome e corpo às existentes formas de aproximação ao nosso poder pessoal.

A VIAGEM DE RECUPERAÇÃO DO PODER PESSOAL

Segundo o antropólogo Michael harnaer, os xamãs de há muito perceberam que o poder do espírito guardião ou tutelar toma a pessoa resistente às doenças. A razão é simples: ele propicia um corpo vigoroso que resiste à intrusão de forças exteriores. Do ponto de vista xamânico, num corpo cheio de poder, simplesmente não há lugar para a fácil entrada das energias intrusas e prejudiciais, conhecidas, na realidade comum, como doenças.

Ter pleno poder é como ter um campo de força em torno de si, porque se é resistente a energias intrusas, o equivalente xamânico das infecções; do ponto de vista xamânico, as doenças costumam ser intrusões de poder. Não são naturais ao corpo, mas trazidas para ele. Se você tiver pleno poder, resistirá a elas. Assim, a posse de um espírito guardião é fundamental para a saúde. Doenças sérias só costumam ser possíveis quando a pessoa está desanimada,perdeu sua força energizante, o espírito guardião. Quando uma pessoa toma-se deprimida, fraca, predisposta a adoecer, trata-se de um sintoma de que ela perdeu seu poder animal e, assim, já não pode resistir às indesejadas “infecções” ou intrusões de poder, ou rebatê-las.

 

Meditação para entrar em contacto com o seu animal guia

– Escolha um lugar calmo, onde saiba que não será interrompido. Desligue os telemóveis e outros aparelhos eléctricos. Se desejar, pode colocar uma música suave, que o tranquilize.

– Sente-se confortavelmente numa cadeira ou numa almofada no chão, com as pernas unidas e a coluna direita.

– Feche os olhos e inspire pausadamente pelo nariz, soltando o ar pela boca.

– Repita durante alguns minutos, libertando a sua mente de preocupações e pensamentos que o distraiam.

– Concentre-se apenas na sua respiração, enquanto o ar entra e sai dentro dos seus pulmões.

– Peça orientação às Sete Direções: o Céu, a Terra, o Norte, o Sul, o Este, o Oeste e o Centro.

– Peça proteção à Mãe Natureza, para que o guie no caminho do Bem.

– Crie mentalmente um espaço sagrado, imaginando-se protegido dentro de um círculo de luz branca.

– Veja-se a si próprio de pé em frente a uma porta fechada. Abra essa porta e veja-se a entrar num espaço ao ar livre. Pode encontrar-se no campo, na selva, numa praia ou mesmo no fundo do mar. Não bloqueie a sua imaginação, deixe-a fluir livremente sem impor restrições. Limite-se a ver, a sentir, sem querer avaliar ou criticar aquilo que está a visualizar. Procure identificar os detalhes do espaço onde se encontra. Sinta a energia do local, reconheça o cheiro, procure sentir-se a agarrar em algum objecto ou planta que ali se encontrem. Caminhe um pouco, como se estivesse a explorar esse sítio mágico.

– Quando estiver perfeitamente confortável e integrado no espaço, peça ao seu animal guia que se apresente. Tenha em conta que alguns animais são mais tímidos ou desconfiados e podem não surgir de imediato. Procure conversar com ele, mostre-lhe que pode confiar em si. Tente pressentir a sua presença, mas não tenha qualquer receio. O seu animal guia protege-o, e nunca lhe fará mal. Se, pelo contrário, surgir mais do que um animal, pergunte-lhes qual deles é o seu principal guia. Procure que o seu coração o ajude a encontrar a resposta, pois ela está dentro de si.

– Estabeleça uma ligação mais próxima com o seu animal guia. Peça-lhe que se aproxime, faça-lhe festas, sinta o seu cheiro e o toque do seu pêlo, penas ou escamas.

– Sinta que entre si e este animal existe uma ligação profunda, tão forte que você encarna características que estão associadas a esse animal. Talvez seja a doçura do olhar, a agilidade física, a capacidade de escapar aos adversários ou a presença imponente. Identifique e reconheça essa ligação.

– Prolongue este encontro o tempo necessário para se sentir reconfortada e protegida. Depois, despeça-se do seu animal guia, com a certeza de que ele o acompanha sempre, mesmo que a sua presença a seu lado seja invisível.

– Veja-o desaparecer no mesmo espaço de onde surgiu. Faça você, também, o caminho inverso, até chegar à porta por onde entrou. Saia através dela e volte a fechá-la. Saiba que esse lugar sagrado existe numa dimensão paralela, e poderá visitá-lo sempre que assim desejar.

– Visualize o círculo branco de luz a dissipar-se.

– Volte e concentrar-se na sua respiração e abra, lentamente, os olhos.

– Poderá desejar anotar o que sentiu, seja através da escrita, de um desenho ou de qualquer outro registo ou pode, também, sentir vontade de estar mais próximo da Natureza, sendo uma ótima altura para dar um passeio pelo campo, à beira-mar…

Muita Luz,

Edgar Martins

Fontes: https://revolucaodosindigos.wordpress.com/2014/05/24/animal-de-poder/ e https://www.mariahelena.pt/pt/pages/meditacao-para-conhecer-o-seu-animal-de-poder

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário abaixo:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!