Até 2020, a depressão será a doença mais incapacitante do mundo, diz OMS

Ela chega de mansinho, assim como quem não quer nada. Num dia, você acorda triste, desanimado. No outro, bate uma sensação de vazio e uma vontade incontrolável de chorar, sem qualquer motivo aparente. A depressão é assim, um mal silencioso e ainda mal compreendido – até mesmo entre os próprios pacientes.

Considerada um transtorno mental afetivo, ou uma doença psiquiátrica, a depressão é caracterizada pela tristeza constante e outros sintomas negativos que incapacitam o indivíduo para as atividades corriqueiras, como trabalhar, estudar, cuidar da família e até passear.

De acordo com OMS (Organização Mundial de Saúde), até 2020 a depressão será a principal doença mais incapacitante em todo o mundo. Isso significa que quem sofre de depressão tem a sua rotina virada do avesso. Ela deixa de produzir e tem a sua vida pessoal bastante prejudicada.

Atualmente, mais de 120 milhões de pessoas sofrem com a depressão no mundo – estima-se que só no Brasil, são 17 milhões. E cerca de 850 mil pessoas morrem, por ano, em decorrência da doença.

Descrita pela primeira vez no início do século 20, a depressão ainda hoje é confundida com tristeza, sentimento comum a todas as pessoas em algum momento da vida. Brigar com o namorado, repetir o ano escolar e perder o emprego são motivos para deixar alguém triste, cabisbaixo. Isso não significa, porém, que o sujeito está com depressão. Em alguns dias, ele, certamente, vai estar melhor.

O desconhecimento real do funcionamento desse transtorno afetivo é o principal responsável por um dos maiores problemas para quem sofre com a depressão: o preconceito. Para Marcos Pacheco Ferraz, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), ele ainda existe e prejudica muito o paciente.

– Principalmente no ambiente de trabalho, onde há competições e cobranças por bom desempenho, é comum as pessoas nem comentarem sobre a enfermidade. Nesses casos, o melhor é tirar férias ou licença médica.

E não é só isso. A ignorância em torno da doença faz com que familiares e amigos, na tentativa de ajudar, piorem ainda mais a condição do depressivo.

Frases como “tenha um pouco de força de vontade”, “vamos passear no shopping que melhora”, “você tem uma vida tão boa, tá com depressão por que?” e “se ocupe com outras coisas que você não terá tempo de pensar em bobagens”, funcionam como uma bomba na cabeça de quem já se esforça, diariamente, para conseguir sair da cama.

– Isso mostra que as pessoas não conhecem o transtorno. Achar que é frescura ainda é comum. Elas não imaginam que o paciente não consegue reagir. Não depende de força de vontade.

A designer C.N., 35 anos, que passou por uma depressão severa há alguns anos, sabe bem o que é isso. Mesmo trabalhando em um ambiente com pessoas bastante esclarecidas, ela cansou de ouvir esse tipo de comentário. E os efeitos eram devastadores. Ela conta que “até críticas sobre o meu médico eu ouvi. Uma colega disse que ele não devia ser bom, pois depois de um mês de tratamento eu já deveria estar curada.”

– É incrível o poder que algumas palavras tem sobre o doente. A primeira coisa que as pessoas perguntavam era o motivo da minha depressão, pois eu tinha uma vida tão boa, uma família, filha, um casamento bacana, um emprego legal. O fato de não ter uma explicação para a doença me deixava péssima. Era um sentimento de culpa enorme.

Por isso, Ferraz diz que é muito importante a participação da família no tratamento. Eles precisam saber o que devem e o que não devem fazer em relação ao doente. Para ele, “fazer com que todos entendam o mecanismo do transtorno e como agem os remédios é fundamental para o sucesso do tratamento. Ainda existe o mito de que antidepressivo vicia, o que é um grande engano.”

Deste modo, tudo que a pessoa sente na mente e em seu coração, acaba se manifestando fisicamente também e causando muitas dores por todo o corpo. Isso é o que recebe o nome de somatização.

Além destas causas, existem outras que podem acarretar em uma ou mais doenças psicossomáticas

Em seus registros akashicos estão os seus “Eus” multidimensionais , que atuam dentro de você, presos a conceitos, vícios, paixões, acorrentados, encarcerados em situações que ecoam no seu eu de agora. Para isso nos foi passado uma poderosa ferramenta, que além de tratar esses “Eus”, personalidades machucadas a curam, libertam , harmonizam e a reacoplam ao seu ser, (Atual) curadas e perdoadas, libertando as do reflexo de memórias auto obsessoras. Há ainda questões Kármicas que ora vão ou não permitir que essa e ou aquela parte sejam tratadas, uma vez que o karma é um professor que lhe da a oportunidade de mudar determinadas atitudes. Através de uma

Segue uma ferramenta poderosa para trabalhar e liberar condicionamentos, crenças limitantes.

A pedido de um grande Mestre, amigo e irmão que ama muito a humanidade gravamos uma série de 51 vídeos inéditos e gratuitos que vão mudar completamente seu estado de espírito.

Entregamos as chaves para você se libertar de traumas, bloqueios emocionais, fobias e muito mais.

ACESSE AQUI – https://goo.gl/LxHrw1

É um método totalmente natural, indolor, simples e que gera uma eficácia tremenda.

Recomendamos vejam ao menos 2 dos vídeos por dia, antes de dormir, se dormirem durante o processo não há problema uma vez que irá atuar em seu subconsciente, trabalhando crenças, medos, fobias e condicionamentos, dessas e de outras memórias celulares, libertações sistêmicas atemporais a própria linearidade do pensamento humano uma vez que o conectará as mais diversas multidimensões existenciais.

Irá adentrar seus Registros Akáshicos acessar, identificar, curar e acoplar suas personalidades as quais um ou mais traumas estão associados. Após assistir os vídeos, poderá enfrentar um processo de libertação através de catarse que poderá manifestar-se no corpo físico indicando a liberação emocional de acordo com a intensidade da emoção guardada.

Estamos desenvolvendo o aprofundamento dessas ferramentas. Teste e nos de um retorno do que sentiu.

Muita Luz, com todo carinho..

Edgar Martins

Muita Luz,

Edgar Martins

Fonte:
https://www.revistapazes.com/ate-2020-depressao-sera-doenca-mais-incapacitante-do-mundo-diz-oms/?fbclid=IwAR2rZWW34OMcPAg4kFSA3dWQLW5FM5EptK50Lb6ETjD7OtoDXVx9_n2jQao

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário abaixo:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!