CONCENTRAÇÃO E MEDITAÇÃO Parte I

1- MEDITAÇÃO:

Para nós, ocidentais, meditar significa refletir a respeito de alguma coisa. No oriente, meditar é algo bem diferente. É entrar num estado de consciência onde se torna mais fácil compreender a si mesmo. Nisargadatta Maharaj, um mestre indiano, nos explica com simplicidade no seu livro I am That: “Eu sou isso”

“Nós conhecemos o mundo exterior de sensações e ações mas, do nosso mundo interior de pensamentos e sentimentos, nós conhecemos muito pouco. O objetivo primário da meditação é que nos tornemos conscientes e que nos familiarizemos com a nossa vida interior. O objetivo final é alcançar a fonte da vida e da consciência.”

  • Um dos exercícios mais simples é observar a respiração. Sinta o ar entrando e saíndo pelas narinas. Acompanhe seu caminho por todo o corpo. Repare nos movimentos da barriga, do peito. Veja se há movimentos ou sensações na pelve, pernas, cabeça, etc. Esteja com o ar o tempo todo. 

  • Quando estiver em contato com a natureza, sente-se diante de uma paisagem e observe-a. Ouça os sons, veja as cores, sinta os aromas mas não fique dando nome às coisas ou analisando-as: “esse cheiro deve ser daquela flor”, “como é bonita a forma daquela montanha”, “o som desses passarinhos me deixa tão relaxado…”. Apenas ouça, veja e sinta sem criar frases na sua mente, sem ficar tagarelando internamente. 

  • Sente-se diante de uma janela e deixe que a claridade invada seu corpo. Sinta a luz penetrando pelo alto de sua cabeça e fluíndo por todo o corpo. Mantenha sua atenção nesse fluxo.

Exercício simples para começar a Meditar:

DICAS PARA MEDITAÇÃO:

  • Escolha um lugar sereno onde você possa sentar-se de maneira confortável e com a coluna ereta. Pode ser numa cadeira ou no chão com as pernas cruzadas. Sentar-se sobre uma pequena almofada ajuda a manter as costas eretas. Use roupas que não apertem nem incomodem. 

  • Acender um incenso ou colocar uma música bem suave pode ajudar a criar um clima de tranquilidade no início. Depois de algum tempo, pode ser que você prefira dispensá-los.

  • Evite meditar quando estiver com sono ou muito cansado. Você se sentirá frustrado por não conseguir se concentrar e desanimará de sua prática diária. Um bom horário para meditar é pela manhã, quando estamos mais tranquilos e descansados. Porém, isso também é individualizável. Se você sentir que consegue melhores resultados à noite, escolha esse horário.

  • Comece com dez minutos diários. Coloque um relógio para despertar após esse tempo, assim sua mente não poderá sabotá-lo fazendo-o acreditar que já se passaram muito mais que dez minutos. 

  • Não se mova durante esse tempo. O corpo é como um pote e a mente é a água dentro dele. Mover o recipiente faz com que a água também se mova e, lembre-se, o que você quer é que sua mente permaneça quieta e imóvel.
  • A atenção deve estar voltada para o objeto da meditação (a respiração, um símbolo, etc.) sem que isso necessite de grandes esforços. Caso você disperse, reconduza sua atenção suavemente ao objeto escolhido. 

  • Qualquer coisa que aconteça estará bem. Se houver um monte de pensamentos desfilando pela sua cabeça, se você tiver vontade de chorar ou de rir, se você achar que nunca vai conseguir se concentrar, tudo bem. Apenas continue sentado e, sempre que possível, volte a sua atenção para o objeto sobre o qual está meditando. 

Existe uma disciplina espiritual dentro do yoga, chamada de MAUNA (ou Mowna), que ensina justamente o jejum de palavras ou o voto de silêncio a praticantes.

A respeito da tagarelice, Sivananda comenta:

“Um dos hábitos maus que diminuem o poder espiritual é o de falar demais. Se um homem fala demais ele sofre de soltura da língua. Pessoas silenciosas não conseguem sentar-se nem mesmo por um segundo com essas pessoas tagarelas ou prolixas. Elas falarão quinhentas palavras por segundo. Há um dínamo elétrico da fala em suas línguas…”

Ouvir música baixo.Conversar baixo, sobretudo ao celular. Isso realmente nos acalma, experimente.

“Falar demais ocasiona grande perda de energia.”


CONCENTRAÇÃO

2 – CONCENTRAÇÃO:

“Concentração é a interiorização para reduzir o campo de atividade da mente inferior e fixá-la num ponto interno, fechando o foco de nossa atenção. É o processo de tornar a mente branca.
Meditação, ao contrário, é a ampliação exterior do pensamento até diluir-se no inconsciente. Restabelecendo o ritmo de nosso ser, acalmamos as emoções e permitimos que a Luz desça para nossa consciência.” – ( Zauri Alkalar) 

“A habilidade de concentrar a mente é essencial ao progresso espiritual porque capacita a pessoa a adquirir domínio sobre o corpo de desejos e, finalmente, a entrar em contato consciente com os mundos invisíveis. Para aprender a arte da concentração, precisamos fixar nossa atenção em um foco e manter nosso pensamento sobre esse único objeto ou condição. Precisamos entender que o pensamento força é nosso poder principal e devemos aprender a ter controle sobre ele. Isto não é fácil de ser conseguido, mas uma tentativa neste sentido deve ser feita e será valiosa para nós. É imperativo que tenhamos o controle de nossos pensamentos pois, se não o conseguirmos, esse poder fluirá sem objetivo, nada realizando. Quando aprendermos a focalizar uma só coisa, excluindo todas as outras, tornamo-nos capazes de aumentar nosso poder de pensamento e nossa capacidade de usá-lo eficazmente. Obteremos, então, qualidade e diminuiremos a quantidade dispersiva.

Durante a concentração, os sentidos do homem estão inativos, como se estivessem no mais profundo sono, mas, ao mesmo tempo, o Espírito permanece dentro do corpo com total controle de todas as suas faculdades. O aspirante aprende a absorver-se, à sua vontade, em qualquer assunto. A concentração intensa constrói uma forma de pensamento vivente, uma imagem clara e verdadeira. Na meditação aprendemos muito sobre esta forma de pensamento, o exercício capacita-nos a relacionar-nos com esse mundo superior. Na concentração aplicamos toda nossa atenção sobre um assunto ou ideia. Na meditação juntamos todo conhecimento possível sobre este determinado assunto. A mente pondera e sonda, acrescentando sempre um pouco mais de informação e, como resultado, adquirimos um novo significado sobre esse objetivo ou ideia.”

 (Manifesto copiado da Fraternidade Rosacruz)

Outras Conceitos:
REFLEXÃO:

Segundo Gil Restani Andrade, a reflexão caracteriza-se pelo direcionamento do pensamento ao nosso próprio interior, fazendo uma análise consciencial retrospectiva de atos realizados em nosso meio existencial. São caracterizadas por aquelas pessoas metódicas, calculistas, reflexivas, sistemática e que estudam e projetam seus atos. Daí o termo usado: “Ele age com a razão e não com o coração.”

Ainda Gil Restani Andrade, afirma que a concentração, caracteriza-se pela centralização da mente  em “clichês mentais”, ou “formas pensamento”, bem definidas,com exclusividade. A concentração pode ser individual, isolada ou grupal (coletiva). Pode ser positiva ou negativa. Escolhe-se um objeto, paisagem ou mensagem, retira-se da consciência todo e qualquer estímulo externo. Manter fixado, firmemente objeto, buscar a visualização do objeto.     

3 – MEDITAÇÃO:

Gil finaliza falando que a meditação é exatamente a extensão da concentração; seu alcance é conquistado,à medida que a criatura consiga  concentrar-se com maior eficácia. Meditar é colocar-nos em contato com as forças internas, caracteriza-se por uma atitude quieta, atenta expectante; não intensa, mas calma, mas dando atenção às idéias que apresentam. Há um contato sutil e agradável com as correntes superiores dos planos superiores.  

4 – CONTEMPLAÇÃO:

A contemplação é a mais alta expressão de vida intelectual e espiritual do homem. É a própria vida do intelecto e do espírito, plenamente despertada, plenamente ativa, plenamente consciente de que está viva. É um espanto espiritual, uma admiração. Um temor espontâneo, reverencial, diante do caráter sagrado da vida, do ser. É gratidão pelo Dom da vida, pela consciência despertada, pelo ser. É a consciência viva do fato de que, em nós, a vida e o ser procedem de uma Fonte invisível, transcendente e infinitamente abundante.

A contemplação é, acima de tudo, a consciência da realidade dessa Fonte. Ela conhece a Fonte, obscuramente, de modo inexplicável, mas com uma certeza que vai além, tanto da razão como da simples fé. Pois a contemplação é uma espécie de visão espiritual a que, pela sua própria natureza, tanto a razão como a fé aspiram, porque sem ela permanecem forçosamente incompletas. A contemplação, entretanto, não é a visão, pois vê sem ver” e conhece “sem conhecer”. É fé em maior profundidade, conhecimento demasiadamente penetrante para poder ser apreendido em imagens, palavras ou mesmo conceitos claros. Pode ser sugerida por palavras, por símbolos, mas, no próprio momento em que procura indicar o que conhece, o espírito contemplativo retira o que disse e nega o que afirmou. Pois na contemplação conhecemos “não conhecendo”. Ou, melhor, conhecemos além de todo conhecer ou “não conhecer.

ESTADOS DA CONSCIÊNCIA

São conhecidos quatro estados conscienciais designados por níveis: Beta, Alpha, Teta e Delta.

Ondas Beta: 
São as ondas cerebrais mais rápidas, podem varias em freqüência de 14 ciclos por segundos (14 Hertz) até pouco mais de 100Hz. Quando estamos acordados, em um estado normal, concentrados em nossas tarefas cotidianas ou problemas concretos e específicos, as ondas Beta (entre 14 e 40Hz) são as mais dominantes e fortes em nosso cérebro. Ondas Beta são associadas com estados de Alerta, cognição e em níveis excessivos, são associadas com a Ansiedade.

Ondas Alpha: 
Quando fechamos nossos olhos e ficamos mais relaxados, em paz, desconcentrados, as atividades cerebrais diminuem, então produzimos pulsos de ondas Alpha na faixa de freqüência de 8 a 13Hz. Se ficarmos mais relaxados, e mentalmente desconcentrados, as ondas Alpha serão as dominantes em todo o cérebro, produzindo uma calma e uma sensação prazerosa denominada de estado Alpha. O estado Alpha é um estado neutro do cérebro. Hipnagogia, sintomas pré-projetivos, viagens astrais.

Ondas Theta:
Quando o relaxamento vai aprofundando-se, o cérebro passa para um estágio mais lento, com a presença mais ritmada das ondas Theta, com faixa de freqüência entre 4 e 8 Hz. O estágio Theta, também é conhecido e chamado como Estágio de transe, entre o acordado e o dormindo. Este estágio é normalmente acompanhado de imagens mentais inesperadas, comumente acompanhadas de memórias vivas e claras da infância. O estágio Theta oferece acesso a materiais do inconsciente, a associações de idéias e idéias criativas. É um estágio misterioso e elucidativo. Muitas pessoas tendem a dormir logo após gerarem grande quantidade de atividade Theta. Viagens astrais conscientes.

Ondas Delta:
Quando dormimos, as ondas cerebrais dominantes são as Delta, que são mais lentas que as Theta, com faixa de freqüência abaixo dos 4Hz. Quando a maioria de nós entra em um estágio Delta, dormimos e temos perda total da consciência. A pesquisa tornou em evidência quatro padrões bem definidos.

Na década de 20, no século passado um neurologista alemão, chamado Hans Berger, descobriu que o nosso cérebro tinha freqüência diferenciadas. O primeiro padrão encontrado por ele o denominou de padrão alfa. Esse padrão se manifestava quando a pessoa ficava com os olhos fechados, desaparecia de imediato se a pessoa abrisse os olhos. A amplitude dessas ondas era em torno de milionésimo de volt. Chegando no máximo a 25 microvóltios.1 µV = 1 volt dividido em um milhão de partes. Naquela época só foi possível registrar essa variação tão pequena por meio de um amplificador de válvulas, como as usadas para transmitir os programas de rádio. As ondas desapareciam quando a pessoa abria os olhos porque mudava de padrão, ficavam mais rápidas e tinham menos amplitude ainda. Não chegavam nem a 5 µV. 

Denominação                   Freqüência                         Correspondendo 

Beta                                    15 c/s e 40 c/s                      Vigília acordado

Alfa (Alpha)                        8 c/s e 14 c/s                        Relaxado      Meditação

Teta (Tetha)                       3 c/s e 7 c/s                          Muito relaxado – Visualizando imagen

Delta                                    0,5 c/s e 2 c/s                       Dormindo – Sono


Muita Luz,

Edgar Martins

Fontes:
http://curador.weebly.com/meditaccedilatildeo-e-estados-de-consciecircncia.html Imagem e tabela do site: http://www.cepal.com.br/temas/ondas.htm
Contemplação: http://www.caravansarai.com.br/LivNovasSementesInicio.htm Fonte: http://www.yogasite.com.br/yogasite/meditaca.htm Fonte:http://www.cdof.com.br/yoga2.htm

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário abaixo:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!