LOUISE HAY: O CÍRCULO DO AMOR & VOCÊ ENTREGOU O SEU PODER?

Cada
um de nós é uma peça única do quebra-cabeça que se encaixa perfeitamente na
Vida. Não temos que nos justificar ou sermos diferentes do que somos, pois o que
estamos fazendo é perfeito para a nossa evolução. Não podemos nos julgar ou
julgarmos outra pessoa, pois nunca sabemos onde ela está em seu
caminho.
Podemos amar a nós mesmos. Podemos despertar para o amor e nos
permitirmos viver no espaço da alegria, onde as mudanças positivas acontecem
automaticamente. Somos perfeitos exatamente como somos.
Cada um de nós
tem uma enorme fonte de amor interior, e quando permitimos que ela se manifeste,
ela flui de nós. É uma fonte inesgotável. Pense em todos que você encontrou
hoje, ou pense nas pessoas que são especiais a você. Deixe o amor fluir do seu
coração para estas pessoas. Sinta o seu coração se abrindo agora. E ainda que
ele esteja aberto, deixe-o abrir mais.
Lembre-se: o coração trabalha de duas
maneiras. Você não somente dá amor, mas também o recebe. Deixe o amor entrar.
Permita-se sentir pleno. Mova-o em sua mente, de coração a coração, de mão a
mão. Enquanto ele circula mais, mais e mais, sinta este círculo de
amor.
Diga a si mesmo todas as manhãs ao se levantar: “Hoje eu dou amor e
hoje eu recebo amor. Que este seja a chama que possa carregar em seu coração. E
assim é.
Com Amor,
Louise Hay
Traduzido
por: Regina Drumond –reginamadrumond@yahoo.com.br
VOCÊ
ENTREGOU O SEU PODER?
Louise Hay
12 de Maio de 2012
Quando culpamos o outro, entregamos o nosso poder,
porque estamos colocando a responsabilidade pelos nossos sentimentos em outra
pessoa. As pessoas em nossas vidas podem se comportar de maneiras que
desencadeiem reações desconfortáveis em nós. Entretanto, elas não entraram em
nossas mentes e criaram os botões que foram empurrados.
Assumir a
responsabilidade pelos nossos próprios sentimentos e reações é dominar a nossa
“capacidade de responder.” Em outras palavras, aprendemos a escolher
conscientemente, ao invés de simplesmente reagirmos.
Não podemos falar de
ressentimento sem também falarmos sobre o perdão. Perdoar alguém não significa
que toleremos o seu comportamento. O ato do perdão ocorre em nossa própria
mente. Ele realmente nada tem a ver com a outra pessoa. A realidade do
verdadeiro perdão está em deixarmos de nos agarrarmos à dor. É simplesmente um
ato de nos liberarmos da energia negativa.
O Perdão não significa
permitir que as ações ou comportamentos dolorosos do outro continuem em sua
vida. Algumas vezes, o perdão significa liberação. Você os perdoa e os libera.
Tomar uma posição e estabelecer limites saudáveis são, muitas vezes, as coisas
mais amorosas que você pode fazer – não somente para si mesmo, mas para a outra
pessoa também.
Eu realmente acredito que não há erros. Quando os nossos
corações estão fechados e sentimos ressentimento, raiva e tristeza, é difícil
ver alguma coisa boa. No entanto, quando os nossos corações estão abertos, é
como se grande parte desta negatividade desaparecesse e fôssemos capazes de
liberar estes velhos pensamentos e despertarmos para a alegria. Para cada um de
nós, há sempre a alegria interior. E precisamos saber que somos muito perfeitos
como somos.
Não importa quanto caos possa estar acontecendo ao nosso
redor, não importa quantas coisas possam estar acontecendo de errado ou não da
forma como queremos, não importa o que os nossos corpos possam estar fazendo no
momento – podemos amar e aceitarmos a nós mesmos. Pois a nossa verdade – a
verdade do nosso ser – é que somos eternos. Sempre fomos e sempre seremos. E
esta parte de nós mesmos continua para sempre. Alegre-se que assim seja. Quando
nos amamos e nos aceitamos exatamente como somos, torna-se mais fácil passarmos
pelos momentos difíceis. Não estamos mais lutando contra nós mesmos. Estamos nos
aceitando.
Estamos nos tornando sensíveis. Estamos nos valorizando.
Estamos nos confortando e tornando as coisas mais fáceis para nós
mesmos.
Veja-se na frente de um espelho, olhando para os seus próprios
olhos e dizendo: “Eu o amo e o aceito exatamente como você é”. E respire.
Permita-se sentir o que você está sentindo. Você não tem que ser perfeito. Você
já é perfeito como é: Você é você. Você é exatamente o que escolheu ser nesta
existência. De todos os corpos e de todas as personalidades que estavam
disponíveis, você escolheu ser quem você é – experienciar este mundo, esta vida,
através do seu corpo, através de sua personalidade. Assim, ame a sua escolha,
pois é parte da sua evolução espiritual.
Traduzido
por: Regina Drumond –reginamadrumond@yahoo.com.br

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário abaixo:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!