Obsidiana Preta – uma professora da nova era

Este cristal será ofertado no curso de Cristais Etéricos 20-22. 
Se você quiser receber a iniciação deste cristal, basta apenas dizer“Agora quero receber a iniciação do Cristal Etérico de Obsidiana Preta, enviada por Edgar Stefani Rodrigues Martins de Souza” 3 vezes – Após isto a iniciação durará cerca de 3 minutos. Em seguida você poderá utilizar esse cristal. A iniciação ficará programada por 24 horas, se encerrando amanhã às 10h (06/10/2011) para todos aqueles que quiserem receber. Para aprender como utilizar os cristais etéricos baixe o livro AQUI e confira.

A Obsidiana Preta é uma
das mais importantes professoras de todas as pedras da Nova Era. Ela está
associada ao primeiro chacra. Esse centro de energia relaciona-se à Terra, ao
físico, à sobrevivência e à realização do ego pessoal. Ao colocar uma dessas
pedras sobre os pontos de chacra inferior, atraem-se as energias mais puras dos
chacras superiores para os centros primitivos, para o aprimoramento e a
purificação do ego.

Obsidiana Preta deve de ser empregada apenas por aqueles instruídos sobre seus
poderes e preparados para o processar as mudanças que ela muitas vezes
implacavelmente acarreta. Regida pelo planeta Plutão, seu objetivo é conduzir a
mente através das áreas obscurecidas do subconsciente, para estabelecer uma
identidade no superconsciente. Como professora plutoniana, não serve ao ego. Em
vez disso, mostra de modo rude e muitas vezes grosseiro ao eu-ego o seu lugar e
o que precisa para mudar e avançar para o próximo passo do desenvolvimento
evolutivo. Atua como um espelho que reflete as falhas da natureza de um ser e
amplia temores, inseguranças e atitudes egocêntricas que reprimem as qualidades
superior da alma. Pode-se chama-lá de “guerreira da verdade”, aquela
que mata a ilusão para dar à luz a visão da Nova Era.


A obsidiana Preta é uma professora magistral e veio nos ensinar o verdadeiro
significado de sua cor. O preto, sendo denso, o obscuro e o desconhecido, é o
oposto polar do branco, o translúcido, o iluminado e o conhecido. Cada uma
dessas expressões opõe-se precisamente à outra e, como partes da alma que são,
permitem à outra existir. Cada uma dessas cores encerra dentro de si todas as
outras; tanto o preto quanto o branco podem potencialmente conter a mesma
intensidade de luz. Embalada nos braços do preto e do branco, do dia e da
noite, do escuro e da luz, a vida da Terra foi concebida e criada e agora está
pronta para vir a saber que os pólos aparentemente opostos são, na realidade, o
mesmo. Os conceitos de bom e mau não passam de um truque pregado aos sentidos
quando se vêem essas cores distintas.

A cor preta foi mais mal empregada e mal compreendida do qualquer outra em todo
os espectro. Ao evoluir e sentir o poder do universo fluindo nas veias, a alma
humana apresentou uma tendência a reinvindicar esse poder como seu. Ao buscar
apenas satisfação pessoal, ela aprendeu a canalizar essa força cósmica para o
planeta de formas que só servem ao seu pequeno ego, em vez de servir à força em
si mesma. Quando isso ocorre, a luz contida no preto volta-se contra si mesma e
os aspectos mais baixos da natureza humana predominam. A magia negra
caracteriza exatamente esse tipo de abuso flagrante de poder que se manifestará
em ações maléficas. Entretanto, o próprio processo de abuso de poder consiste
numa das maiores lições que o universo deve ensinar a seus ocupantes.

Pode-se constatar a existência da teoria do buraco negro em diferentes aspectos
da criação, da humana à estelar. Esse fenômeno natura origina-se quando a luz é
egoisticamente consumida e revertida contra si mesma, acarretando a destruição
e a devastação sobre todos os objetos circundantes que são atraídos para dentro
do buraco negro por uma força gravitacional cada vez mais forte. À medida que a
luz é absorvida, o vácuo torna-se mais profundo e maior até, finalmente, a alma
ou as estrelas renascerem tomando conhecimento de que a luz deve ser
compartilhada e igualmente possuída por todos. Uma vez aprendida essa lição,
toda a luz consumida pelo buraco negro explode para fora no outro lado da
realidade, e o buraco branco existe como uma manifestação brilhante de uma
lição bem-assimilada. Cada um de nós, numa ocasião ou noutra, deve passar pelo
processo de autodestruibilidade do buraco negro e aprender a usar de modo
apropriado a luz e a energia. Quando a maioria dos habitantes da Terra se
conscientizar dessa lição, a Terra como um todo renascerá e a Nova Era
florescerá.

A Obsidiana Preta nos ensina que o buraco negro dentro de cada um de nós
consiste na não-identificação com a fonte de luz e que é a obscuridde do medo e
do egoísmo que nos leva à autodestruição. Ela trará luz a esses temores e
provará que eles não passam de uma ilusão, uma interpretação equivocada da
verdade.
A Obsidiana Preta demonstra a habilidade para identificar-se e harmonizar-se
por completo com a luz durante a existência e a atuação no plano material. Ela
exemplifica a capacidade de manter um stado mental meditativo e concentrado
enquanto em emio à grande atividadeda vida diária.

A visão divina capacita um indivíduo a tornar-se ainda mais humano, mais
compassivo e mais compreensivo por saber que, não importa qual a circunstância
aparente ou o acontecimento cármico, tudo se encontra na ordem divina correta e
o universo, bem como todas as coisas aí presentes, existem eternamente num
estado brilhante de perfeição.

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário abaixo:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!