Ramatis e transição planetária

Do livro: Evolução no Planeta Azul
PERGUNTA: – Os cientistas verificam a
realização de profecias ancestrais e de diversas tradições indígenas,
reconhecendo comprovada mente importantes alterações no campo magnético e de
freqüência da Terra neste início de Era de Aquário. O que tendes a dizer dessa
confluência ciência-esoterismo da atualidade, e qual a visão espiritual dos
mentores do Espaço sobre este momento de transição planetária que tem gerado
insegurança em alguns espiritualistas estudiosos, temendo o profetizado final
dos tempos?
            RAMATÍS: –
Os homens voltam-se aos conhecimentos espiritualistas mais antigos para
entenderem espiritualmente o que estão descobrindo e constatando por meios
científicos. Como a comunidade que habita a egrégora terrestre está em franco
processo de mudança, em que a transladação de espíritos imorais e despreparados
para a vivência amorosa da Era de Aquário está sendo levada a efeito para
planetas mais atrasados, ao mesmo tempo que espíritos com melhor condição moral
estão encarnando em vosso orbe num mesmo influxo magnético cósmico de planetas
mais evoluídos que a Terra, ocorre simultaneamente um aumento da freqüência
vibratória coletiva do planeta, por um mecanismo que podeis entender como
ressonante. Os cientistas terrícolas comprovam que a “pulsação” da
Terra, ou a chamada Ressonância. de Schumann (1),
está aumentando drasticamente, ficando algo estarrecidos por não encontrarem
explicações em parâmetros mecanicistas aos quais estão habituados, o que leva
uma minoria a voltar-se positivamente para o espiritualismo, o ocultismo e para
as questões esotéricas das tradições ancestrais da humanidade, muito
especialmente as orientais.
            1 – A
Ressonância de Schumann é a freqüência de base, ou pulsação da Terra. Essa
medida já foi considerada uma constante, tanto que comunicações globais de
militares foram desenvolvidas a partir do valor dessa freqüência. A Terra se
comporta como um enorme circuito elétrico. Existe uma “cavidade”
definida pela superfície do planeta e o limite interior da ionosfera de até 55 km. A amplitude da
ionosfera, que é uma região altamente ionizada da atmosfera terrestre, de
agrupamentos de átomos com falta ou excesso de cargas elétricas negativas, vai
até 700 km
de altitude. As Ressonâncias de Schumann são ondas eletromagnéticas que existem
nessa cavidade de até 55 km
da crosta planetária. Como ondas de uma mola, elas não estão presentes o tempo
inteiro, e sim têm de ser estimuladas para serem observadas. Elas não são
causadas por nada que acontece no interior da Terra, na sua crosta ou no seu
núcleo: e os cientistas desconhecem a sua procedência e como são geradas, muito
menos os motivos do aumento de freqüência que estão verificando. Elas ocorrem
em diversas freqüências entre 6 e 50 ciclos por segundo, especificamente 7, 8, 14,
20, 26, 33,9 e 45 Hertz, com uma variação diária de 0,5 Hertz. Muitas das
pesquisas dos últimos anos, nesse campo, foram conduzidas pela Marinha
americana, que investiga freqüências extremamente baixas de comunicação com
submarinos. Quem desejar maiores informações sobre o assunto, pode buscar o
Handbook of Atmospheric Electrodynamies, vol. 1, de Hans Volland, 1995. A Ressonância de
Schumann é abordada durante todo o capítulo 11, escrito por Davis Campbel, do
Instituto Geofísico da Universidade do Alaska.
            As transições planetárias sempre
ocorreram em toda a História; eis que a evolução requer movimento ascensional.
O que estais verificando é uma intensidade no efeito de transitar, o que denota
mudança de Era, compreendendo um ciclo de intensas e sérias modificações, algo
que deveis perceber sem medos ou excessiva fascinação, que poderá vos conduzir
a uma fixação exagerada nesse assunto, ante os percalços da vida comum, que
devem preponderar. Dentre vós há os que se tornaram trombetas vivas do momento apocalíptico,
como se o fim do mundo terrificante vos batesse à porta, fazendo disso uma
preocupação utilitarista, ampliando os interesses individuais de salvação à
direita do Cristo contra a caridade coletiva que emana do amar ao próximo, como
se o Cosmo impusesse pressa na ascensão evolutiva àqueles que ainda não têm em
si os valores morais para serem o trigo e não o joio. Se fordes o joio após a
separação, continuareis evoluindo normalmente em outro planeta, talvez nem tão
mais inóspito e selvagem quanto o que estagiais no agora. Espíritos imortais
que sois, os céus eternos não vos impõem excesso de velocidade na autopista que
conduz à estação angélica, sob pena de severa multa aos aligeirados que
esquecem as regras do bom trânsito entre irmãos. Certo está que não deveis
ficar paralisados diante da Nova Era que se avizinha, pois se não há imposição
de prazo evolutivo pela Divindade, há de se remover os estacionados
indevidamente, para o bom fluxo de todos.
            Em verdade, podemos vos dizer que
“os tempos esperados são chegados”, sendo que não é o mais importante
se sabeis disso, conquanto relevante esse conhecimento; os critérios de seleção
do joio do trigo são a moral e o amor crístico interiorizado, não se
relacionando com o saber detalhado da transição planetária em si. Ademais, os
simples e pobres de espíritos se encontram mais à vontade para o exercício do
perdão e do amor junto aos doentes e despossuídos de intelecto avantajado. A
parcela um tanto insegura da coletividade de grande “saber” das
coisas da Nova Era deve deixar de espalhar o medo do “fim dos tempos”
e se preocupar um pouco menos em credenciar-se à direitistas do Cristo neste
momento apocalíptico.
            As mudanças que estão sendo
verificadas não devem amedrontar-vos, pois que tal feito demonstraria uma
divindade sádica em suas leis de causalidade, o que é uma inverdade. Deveis
estar preparados para uma Nova Era de Luz que se avizinha cada vez mais
próxima. Este período de transitoriedade vibratória repercute afetando vossos
padrões de sono, relacionamentos sociais, o biorritmo fisiológico e a percepção
do tempo que fica como que mais rápido. Pode haver sintomas como enxaquecas,
cansaço, sensações elétricas na coluna, dores no sistema muscular, sinais de
gripe e sonhos intensos. Vossos corpos físicos sofrerão alterações. O DNA
perispirítico dos humanos está sendo modificado num método etérico repercussivo
que o levará a ser ampliado para 12 fitas de hélice no corpo somático, ao mesmo
tempo que novos corpos astrais, de outros planetas mais adiantados, se preparam
para encarnar na Terra. Isso vos acarretará maior intuição e mais amplas
habilidades psíquicas, de telepatia e clarividência, e habilidades curativas
sem igual na atualidade.
            Entendei que o movimento no Plano
Astral é cada vez maior, e muito espíritos maldosos e renitentes estão se
rebelando contra todos, num último levante antes de serem encaminhados para
outras paragens cósmicas ou reencarnarem compulsoriamente em corpos
defeituosos. Isso estabelece enormes demandas astrais, em que os grupos mediúnicos
da Terra estão sendo muito solicitados, sendo que as falanges de espíritos
benfeitores, muitas de extraterrestres, estão trabalhando ininterruptamente em
resgates nas zonas abismais e nas populações da subcrosta terrestre,
demonstrando o amor assistencial do Pai por todos os seus filhos.
            PERGUNTA: – Diante de vossas considerações,
podeis falar-nos algo sobre o perfil espiritual e evolutivo dos seres
encarnados e desencarnados que habitam a Terra?
            RAMATÍS:
– Pela complexidade da população terrícola e exigüidade de vosso tempo, para
tão amplo assunto, que foge ao escopo da presente obra e daria facilmente uma
outra, e para vosso entendimento somente, podeis catalogar quatro grandes tipos
de habitantes na Terra. O primeiro grupo é composto dos mais belicosos, os
“irremediavelmente perdidos”. São aqueles para os quais não existem
mais esperanças de continuar em vosso orbe, e inexoravelmente estão sendo
transferidos para outras localidades cósmicas, atrasadas se comparadas com a
Terra. Imorais, concupiscentes, egoístas, maldosos ao máximo, estão há milênios
reencarnando e recaindo em condicionamentos arraigados de tal maneira que os
levam a fracassarem seguidamente, uma vez após outra.
            O segundo grande grupo são os
passíveis de “salvamento”. São aqueles para quem ainda se abrem as
portas para que possam continuar sua jornada evolutiva na Terra, nesta Nova Era
planetária. Apresentam-se como náufragos, nadando num vasto oceano revolto que
os ameaça engolir com as ondas tempestuosas. São os fracos de espírito, os
viciados de todas as procedências, os apegados ao sensório prazeroso inferior
que o corpo físico pode oferecer, que se esqueceram do Eu Superior e das coisas
espirituais.
            O terceiro grupo, não tão grande
como os dois primeiros, é constituído pelos já “redimidos ou salvos”
nas diversas provações na carne. São os que já passaram por todas as provas
dolorosas da vida pela imposição da Justiça Divina que determina que a
semeadura seja livre, mas a colheita obrigatória, e saíram vencedores de si
próprios, submetendo o ego inferior à vontade do Eu Superior. São os simples de
espírito, amorosos e fraternos. Muitos continuarão encarnando na Terra, outros
adquiriram o passaporte cósmico que os levará à reinserção como cidadãos do
Cosmo, conduzindo-os para outros planetas onde a vida se faz de perene
felicidade, em corpos mais evoluídos.
            O quarto e último grande grupo é
formado pelos espíritos benfeitores, guias e instrutores da humanidade que
participam da Grande Fraternidade Universal. Habitam colônias socorristas no
Astral, estações interplanetárias extraterrestres, e são cidadãos cósmicos de
várias localidades siderais com livre trânsito cósmico.

Sobre o autor | Website

Deixe um comentário abaixo:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!